Monitorização do volume de resíduo gástrico no doente crítico

Judite Viana, João Balinha e Cláudia Afonso

Acta Portuguesa de Nutrição 2017, 10, 38-42 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2017.1006

Visualizações: 34 | Downloads PDF: 2


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

O doente crítico, mediante todas as particularidades que lhe são características, constitui um verdadeiro desafio em termos de suporte nutricional. Embora as recomendações internacionais preconizem que o suporte nutricional deva ser instituído o mais precocemente possível, preferencialmente sob a forma de nutrição entérica, este é interrompido desnecessariamente grande parte das vezes, prejudicando o seu estado nutricional e a respetiva evolução clínica. A monitorização do volume de resíduo gástrico, que carece de fundamentação, é uma das metodologias que conduz frequentemente os clínicos e enfermeiros a interromperem a nutrição entérica quando os conteúdos gástricos aspirados atingem determinados volumes máximos ou ainda nos casos em que se considera que o doente não tolera a alimentação. A presente revisão tem como objetivo balancear prós e contras da prática da monitorização do volume de resíduo gástrico, de forma a aferir a sua aplicabilidade na unidade de cuidados intensivos.



Palavras-chave: Doente crítico, Interrupção da nutrição entérica, Suporte nutricional, Volume de resíduo gástrico