Saúde mental em perspetiva – o papel da nutrição e da microbiota intestinal

Mental health in perspective - the role of nutrition and gut microbiota

Sofia Charneca e Catarina Sousa Guerreiro

Acta Portuguesa de Nutrição 2021, 27, 58-62 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2021.2710

Visualizações: 2381 | Downloads PDF: 671


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

As perturbações mentais representam um dos mais importantes desafios da atualidade. No entanto, as opções terapêuticas disponíveis são nalguns casos pouco eficazes ou apresentam efeitos adversos importantes. As intervenções no âmbito do estilo de vida, onde se incluem intervenções nutricionais e alimentares, têm vindo a ser exploradas na área da doença psiquiátrica e já demonstraram exercer um efeito benéfico na sua otimização. Adicionalmente, existe uma conhecida associação entre a doença psiquiátrica e os distúrbios gastrointestinais. A evidência sugere que indivíduos com depressão apresentam uma composição da microbiota intestinal alterada, em comparação com indivíduos saudáveis. Neste sentido, também a microbiota intestinal poderá constituir um alvo terapêutico atrativo. Várias estratégias para a sua modificação já foram descritas, incluindo a manipulação da dieta, a utilização de suplementos probióticos e/ou prebióticos e o transplante de microbiota fecal. Pretende-se com este trabalho abordar importância da nutrição e alimentação no foro da psiquiatria, assim como a modulação da microbiota intestinal e utilização de psicobióticos, reconhecidos como uma potencial coadjuvante para o tratamento destas patologias. Conclui-se que, embora a informação atualmente disponível nesta matéria seja promissora, são necessários mais estudos para que seja possível formular recomendações específicas e cientificamente sustentadas.


Abstract







Psychiatric disorders are some of the most serious challenges of our time. However, the currently available therapeutic options are often ineffective or carry severe side effects. Lifestyle interventions, which include dietary interventions, are being explored in the field of mental illness and have already been shown to exert beneficial effects. Additionally, there is a known association between psychiatric illness and gastrointestinal disorders, and patients with depression were reported to display an altered gut microbiota composition, when compared to healthy controls. In line with this, the gut microbiota may also be an attractive therapeutic target. Several approaches for its manipulation have already been described, such as dietary interventions, the use of probiotics and/or prebiotics and fecal microbiota transplantation. Thus, this review aims to summarize the importance of food and nutrition in the field of psychiatry, as well as the modulation of the gut microbiota and the use of psychobiotics, which have been recognized as a possible adjuvant therapy for these disorders. Finally, although current evidence in this matter is promising, further investigation is needed in order to translate this knowledge into clinical practice and make scientifically supported recommendations.




 




 








Palavras-chave: Microbiota intestinal, Nutrição, Psicobióticos, Psiquiatria