Padrões de Sono, Hábitos e Comportamentos Alimentares de Crianças com Sobrepeso/Obesidade e suas Cuidadoras

Sofia M Ramalho, Diana e Silva, Cristiana Costa e Eva Conceição

Acta Portuguesa de Nutrição , , Pág. 12-16

Visualizações: 90 | Downloads PDF: 24


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

RESUMO

Introdução: A má higiene do sono pode ter impacto negativo na eficácia do tratamento da obesidade em idade pediátrica.

Objetivos: Determinar as associações existentes entre os padrões de sono-vigília, hábitos de ingestão alimentar e comportamentos alimentares problemáticos de crianças em tratamento hospitalar para excesso de peso e os padrões de sono-vigília e comportamentos alimentares das suas cuidadoras.

Metodologia: Foram avaliadas 110 crianças Portuguesas (Faixa etária: 8 - 12 anos;10,13 ± 1,39 anos; 64 Raparigas; z-score Índice de Massa Corporal 2,72 ± 0,65) em tratamento hospitalar para pré-obesidade/obesidade e respetivas cuidadoras (n=110; 39,84±5,48 anos; Índice de Massa Corporal 29,55±5,87 kg/m2). Crianças e cuidadoras reportaram os seus horários de sono nos últimos 7 dias e responderam a um conjunto de questionários de autorrelato (Crianças: Questionário de Frequência Alimentar; Teste de Atitudes Alimentares para Crianças; Cuidadoras: Questionário de Três Fatores do Comportamento Alimentar). Análises estatísticas correlacionais e de diferenças entre grupos foram realizadas.

Resultados: Crianças com obesidade apresentaram uma média de horas de sono significativamente inferior (pré-obesidade: 9h42±0h54 horas; obesidade: 9h11±0h49 horas; p = 0,026). A irregularidade nas horas de deitar entre os dias de semana/fim de semana, associou-se a maior frequência de ingestão de “bolachas” (rs = 0,24, p = 0,015) e de “bolos” (rs = 0,23, p = 0,023). Horas tardias de acordar/deitar das crianças associaram à menor restrição cognitiva em relação à alimentação por parte das cuidadoras (rs = -0,20, p = 0,034; rs = -0,23, p = 0,017).

Conclusões: Número insuficiente de horas de sono e padrões de sono irregulares entre dias da semana e fim de semana das crianças associaram-se a hábitos alimentares pouco saudáveis e a alterações do comportamento alimentar nas suas cuidadoras.

PALAVRAS-CHAVE

Comportamento alimentar, Crianças, Hábitos alimentares, Obesidade, Padrões de sono

 

ABSTRACT

Introduction: Poor sleep hygiene can have a negative impact on the effectiveness of pediatric obesity treatment.

Objectives: The aim of this study was to explore associations between sleep patterns, food/beverages consumption and maladaptive eating behaviors of children under hospital treatment for overweight/obesity and the sleep patterns and maladaptive eating behaviors of their caregivers.

Methodology: This cross-sectional study assessed 110 Portuguese children (Age range: 8-12 years; 10.13 ± 1.39 years; 64 girls; Body Mass Index z-score 2.74 ± 0.66) in hospital ambulatory treatment for overweight/obesity and their caregivers (n =110; age 39.84±5.48 years; Body Mass Index 29.55±5.87 kg/m2). Children and caregivers reported their sleep patterns in the last 7 days, and answered to a set of self-report measures (Children: Food Frequency Questionnaire; Children's Eating Attitudes Test; Caregivers: Three-Factor Eating Questionnaire). Differences between groups were tested and correlational analyzes performed.

Results: Children with obesity presented a lower average of sleep hours (pre-obesity: 9:42 ± 0h54 hours; obesity: 9h11 ± 0h49 hours; p = 0.026). Bedtime irregularity between weekdays/weekends was associated with a higher frequency of “cookies” (rs = 0.24, p = 0.015) and “pastries” (rs = 0.23, p = 0.023) intake. Children’s late-waking/sleeping times were associated with reduced cognitive restriction of caregivers concerning food (rs = -0.20, p = 0.034; rs = -0.23, p = 0.017).

Conclusions: Children’s insufficient number of hours of sleep and irregular sleep patterns between weekdays and weekends were associated with unhealthy eating habits and caregivers’ problematic eating behaviors.

KEYWORDS:

Eating behavior, Children, Dietary patterns, Obesity, Sleep patterns