Sucralose: amiga ou inimiga?

Daniela Correia, Mayumi Thaís Delgado e Sofia Costa Dinis

Acta Portuguesa de Nutrição 2021, 24, 76-80 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2021.2414

Visualizações: 282 | Downloads PDF: 17


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

O uso de edulcorantes é uma estratégia para a diminuição do consumo de açúcar. A sucralose é dos mais utilizados, sendo descrita como segura por diferentes entidades de referência, como a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Food & Drug Administration. Mas sendo as publicações por tais entidades anteriores a 2017, torna-se importante atualizar o conhecimento científico. Foi feita uma pesquisa na base de dados Pubmed com o termo “sucralose AND health”, para os últimos 5 anos. Os principais temas abordados são a relação entre a ingestão de sucralose e a gestão da glicémia, ganho de peso, risco de desenvolvimento de síndrome metabólica e alteração da microbiota intestinal, com resultados, em geral, inconclusivos. Surgem estudos que levantam preocupações sobre exposição no útero e possível insegurança da sucralose, ainda pouco representativos. Contudo, perante a evidência atual, não é possível aferir que a sucralose leve a efeitos negativos na saúde, quando respeitado a ingestão diária aceitável (ADI, Acceptable Daily Intake).



Palavras-chave: Edulcorantes, Saúde, Segurança Alimentar, Sucralose