Alteração da Alimentação e Atividade Física em contenção social: experiência da Região Autónoma da Madeira

FOOD AND PHYSICAL ACTIVITY CHANGE DURING COMMUNIT Y CONTAINMENT: EXPERIENCE FROM AUTONOMOUS REGION OF MADEIRA

Liliane Costa, Eva Henriques e Teresa Esmeraldo

Acta Portuguesa de Nutrição 2021, 24, 06-10 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2021.2402

Visualizações: 28 | Downloads PDF: 2


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

Introdução: As medidas de contenção social impostas durante a pandemia COVID-19 resultaram em restrições na vida diária e, consequentemente em alterações ao estilo de vida. Conhecer o efeito destas medidas nos hábitos alimentares e atividade física será importante para definir respostas de Saúde Pública ajustadas e em tempo útil.

Objetivos: Avaliar o efeito do período de contenção social na perceção da alteração de fatores do estilo de vida relacionados com a alimentação e a atividade física.

Metodologia: Estudo observacional, transversal e descritivo, de abordagem quantitativa. A amostra foi de 407 participantes entre os 5-84 anos de idade. Um questionário foi aplicado por entrevista telefónica assistida por computador, entre os dias 22 e 29 de maio. Na comparação dos dados por grupo etário e concelho de residência foram usados os testes Qui-quadrado e Kruskal-Wallis.

Resultados: Em comparação com o período pré-contenção social, 52,1% dos respondentes considerou ter diminuído a atividade física, 51,8% aumentou o tempo sentado e 33,7% alterou a sua alimentação. O aumento do comportamento de snacking foi reportado por 63,6% dos participantes, dos 5-10 anos, e por 50,0% dos 10-17 anos. Entre os mais jovens destaca-se o aumento na ingestão de água e fruta, e a redução de refeições takeaway/entrega ao domicílio e pré-preparadas.

Conclusões: As medidas de contenção social provocaram diminuição na atividade física e a alteração de hábitos e comportamentos alimentares, principalmente entre os mais jovens.


Abstract

INTRODUCTION: The community containment measures imposed during the COVID-19 pandemic resulted in restrictions on daily life and, consequently, changes in lifestyle. Knowing the effect of these measures on eating habits and physical activity will be important to define adjusted and timely responses of Public Health.

OBJECTIVES: To evaluate the effect of social restraint period on the perception of changes in lifestyle factors related to food and physical activity.

METHODOLOGY: Observational, cross-sectional and descriptive study, with a quantitative approach. The sample consisted of 407 participants between 5-84 years of age. A questionnaire was applied through a computer-assisted telephone interview, between May 22nd and 29th. When comparing data by age group and municipality of residence, the Chi-square and Kruskal-Wallis tests were applied.

RESULTS: In comparison with the pre-community restraint period, 52.1% of the respondents considered having decreased physical activity, 51.8% increased sitting time and 33.7% changed their diet. The increased snacking behavior was reported by 63.6% of participants aged 5-10 years and by 50.0% aged 10-17 years. Among the youngest, there is an increase in water and fruit intake and a reduction in takeaway/home delivery and pre-prepared meals.

CONCLUSIONS: Community containment measures caused a decrease in physical activity and altered eating habits and behaviors, especially among youngers.

Palavras-chave: Alimentação, Atividade física, Contenção social