Hábitos alimentares, estado nutricional e estilos de vida de uma amostra de timorenses residentes em Portugal

Eating habits, nutritional status and lifestyles in a timorese sample living in Portugal

Renilde Monteiro, Rui Poinhos, Maria Antónia Campos, Beatriz Teixeira e Cláudia Afonso

Acta Portuguesa de Nutrição 2021, 27, 12-16 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2021.2703

Visualizações: 1904 | Downloads PDF: 242


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

Introdução: A presença de um número considerável de timorenses a residir em Portugal, justifica a necessidade de investigar acerca dos seus hábitos alimentares, uma vez que até à data, existe uma lacuna de informação relativamente a este tema.

Objetivos: Avaliar e conhecer os hábitos alimentares, o estado nutricional e os estilos de vida de uma amostra de timorenses a residir em Portugal.

Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo observacional, de desenho transversal que abrange uma amostra da população timorense residente em Portugal, de idade igual ou superior a 18 anos. Integraram a amostra 88 indivíduos. Foi elaborado um questionário estruturado de aplicação direta, com questões relativas às características sociodemográficas, estilos de vida e estado de saúde, caraterísticas antropométricas, hábitos alimentares e suas alterações após a emigração. A recolha de dados aconteceu entre fevereiro e março de 2020.

Resultados: Foram analisadas 82 respostas dos participantes com idade média de 29,7±12,5 anos. A maioria apresentava um Índice de Massa Corporal normal (64,1%) e 21,9% eram pré-obesos ou obesos. 26,5% dos inquiridos realizaram as refeições, de forma completa e saudável. 62,2% da amostra relatou melhorias no seu estado de saúde após a vinda para Portugal e 69,5% considerou que a alimentação teve influência nessa mudança. Relativamente às alterações dos hábitos alimentares, 70,7% dos inquiridos mencionaram terem alterado o número de refeições, as quantidades de alimentos consumidos (78%) e 58,5% o local habitual onde realizavam as suas refeições.

Conclusões: Dos timorenses que vieram para Portugal, só ¼ da amostra realizaram refeições completas e saudáveis, mas só cerca de metade ingeria frutas e hortícolas. Com a vinda para Portugal, reportaram consumir um maior número de refeições, maiores quantidades de alimentos e faziam as suas refeições mais vezes fora de casa. Reduziram a prática de atividade física e ¼ da amostra fumava e bebia álcool semanalmente. Mais de metade da amostra era normoponderal, apresentando pré-obesidade e obesidade ¼ dos inquiridos.


Abstract




Introduction: A considerable number of Timorese living in Portugal justifies the need to investigate their eating habits, since to date there is a lack of information on this topic.


Objetives: To evaluate the eating habits, nutritional status and lifestyles from a sample of the Timorese population living in Portugal.


Methodology: This is a cross-sectional design, covering a sample of the Timorese population living in Portugal, aged 18 years or above. The sample comprised 88 individuals. A structured questionnaire for direct application was prepared, with questions related to sociodemographic characteristics, lifestyles and health status, anthropometric characteristics, eating habits and their changes after emigration. Data collection took place between February and March 2020.


Results: The sample include 82 responses from Timorese participants (mean age of 30 years, SD = 12). Most of them had a Body Mass Index corresponding to normality (64.1%) and 21.9% were pre-obese or obese. 26.5% of the participants ate their meals in a complete and healthy way. 62.2% of the sample reported improvements in their health status after coming to Portugal and 69.5%, considered that diet had an influence on this change. Regarding changes in EA, 70.7% of the respondents mentioned having changed the number of meals, 78.0% the quantities of food consumed and 58.5% the place where they usually ate.


Conclusions: Among this sample of Timorese who came to Portugal, only one quarter of the sample had complete and healthy meals, and only half of them ate fruits and vegetables. Upon coming to Portugal, they reported an increasing of the number of meals, greater amounts of food and eating out more often. They reduced the practice of physical activity and one quarter of the sample smoked and drank alcohol weekly, with the number of hours of sleep within the recommended range. More than half of the sample had normal weight, with pre-obesity or obesity being present in about one quarter.







Palavras-chave: Alimentação, Imigração, Malnutrição, Portugal, Timor