Motivação dos Nutricionistas/Dietistas: antecedentes e consequências para a prática clínica

Marie de Oliveira, Catarina Paixão, Eliana Carraça e Inês Santos

Acta Portuguesa de Nutrição 2020, 22, 56-62 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2020.2211

Visualizações: 199 | Downloads PDF: 16


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

Introdução: A teoria da autodeterminação sugere que o contexto social e laboral tem impacto na motivação dos indivíduos, com diferentes consequências a nível comportamental.

Objetivos: Determinar a associação entre a motivação para o trabalho, as pressões percebidas neste contexto e as estratégias motivacionais utilizadas na prática clínica, numa amostra de nutricionistas/dietistas.

Metodologia: Participaram neste estudo 134 profissionais, tendo-se avaliado as suas características sociodemográficas e inerentes à profissão. Nos profissionais que exerciam em contexto clínico, avaliou-se ainda a sua motivação para o trabalho, a pressão percebida no trabalho e a perceção da utilização de estratégias motivacionais de suporte vs. de controlo na sua prática clínica, com recurso a versões adaptadas e/ou traduzidas de instrumentos validados internacionalmente.

Resultados: Cerca de 96% dos participantes eram mulheres, tinham em média 29,3 ± 6,5 anos, e cerca de 75% exerciam na área da nutrição clínica. Observou-se uma associação positiva entre a motivação intrínseca para o trabalho e o uso de estratégias motivacionais de suporte da autonomia e entre a motivação externa e amotivação e o uso de estratégias de controlo (p<0,05). Os vários tipos de pressão percebida associaram-se de forma positiva com motivações mais controladas e com o uso de estratégias controladoras.

Conclusões: Nutricionistas/dietistas mais autodeterminados, com contextos de trabalho menos pressionantes, tendem a utilizar estratégias motivacionais de suporte para com os seus clientes, com potencial impacto positivo no comportamento dos mesmos.



Palavras-chave: Dietistas, Estratégias controladoras, Estratégias de suporte, Motivação para o trabalho, Nutricionistas, Pressão no trabalho, Teoria da Autodeterminação