Glucosamina: evidência no tratamento da osteoartrite

Glucosamine: evidence in the treatment of osteoarthritis

Ana Sofia Queirós, Daniela Soares, Leonor Sousa, Soraia Lopes e Tiago Melo

Acta Portuguesa de Nutrição 2022, 28, 60-63 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2022.2811

Visualizações: 1129 | Downloads PDF: 116


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

A osteoartrite é uma doença crónica degenerativa multifatorial da cartilagem articular, caracterizada por dor nas articulações e perda de função. A glucosamina consiste num amino-monossacarídeo e um componente essencial da cartilagem articular. É produzida endogenamente, mas também pode ser administrada como um fármaco de ação lenta na osteoartrite para a redução dos sintomas.

A presente revisão de literatura pretende compreender os efeitos da glucosamina na osteoartrite, mais especificamente, o seu metabolismo, mecanismo de ação, eficácia e segurança.

Foi realizada uma pesquisa bibliográfica, com base em artigos publicados nos últimos dez anos, nas bases de dados “Pubmed” e “Sciencedirect”, utilizando os descritores “glucosamine” em associação com “osteoarthritis” e “pharmacokinetics”. Recorreu-se ainda a recomendações oficiais de organizações de saúde.

A glucosamina administrada oralmente é absorvida no duodeno, e transportada pelos GLUT-2 para o interior das células. Este composto participa na via das hexosaminas, contribuindo para a biossíntese de proteoglicanos e glicoproteínas, componentes principais da matriz extracelular da cartilagem. Na osteoartrite, a glucosamina possui efeito anti-inflamatório e protetor da degradação da cartilagem.

De acordo com a literatura, a dose terapêutica de glucosamina capaz de diminuir a dor articular e melhorar a função é de 1500 mg/dia, sendo que a marca e a formulação são fatores essenciais para a sua eficácia. Esta substância foi considerada segura e não foram observados efeitos adversos graves nem casos de sobredosagem.

A glucosamina pode ter um efeito positivo no alívio dos sintomas da osteoartrite. No entanto, ainda não há consenso quanto à sua eficácia, interações nutriente-medicamento e efeitos no metabolismo da glucose, sendo necessários mais estudos.

 

 

 


Abstract







Osteoarthritis is a chronic multifactorial degenerative disease of the articular cartilage, characterized by joint pain and loss of function. Glucosamine consists of an amino-monosaccharide and an essential component of articular cartilage. It is produced endogenously, but it can also be administered as a slow-acting drug in osteoarthritis to reduce symptoms.


This literature review aims to understand the effects of glucosamine on osteoarthritis, specifically its metabolism, mechanism of action, efficacy, and safety.


A literature search was carried out, based on articles published in the last ten years, in “Pubmed” and “Sciencedirect” databases, using the descriptors “glucosamine” in association with “osteoarthritis” and “pharmacokinetics”. Official recommendations from health organizations were also considered.


Orally administered glucosamine is absorbed in the duodenum and transported by GLUT-2 into cells. This compound participates in the hexosamine pathway, contributing to the biosynthesis of proteoglycans and glycoproteins, which are significant components of the extracellular matrix of the cartilage. In osteoarthritis, glucosamine has an anti-inflammatory and protective effect against cartilage degradation.


According to the literature, the therapeutic dose of glucosamine capable of decreasing joint pain and improving function is 1500 mg/day. The brand and formulation are essential factors for its effectiveness. This substance was considered safe, and no serious adverse effects or cases of overdose were observed.


Glucosamine may have a positive effect on alleviating the symptoms of osteoarthritis. However, there is still no consensus on its efficacy, nutrient-drug interactions and impacts on glucose metabolism. Therefore, further studies are needed.










Palavras-chave: Dor articular, Glucosamina, Medicamento de ação lenta, Osteoartrite, Suplemento alimentar