Variação ponderal e comportamento alimentar: restrição, alimentação intuitiva e consciente e autoeficácia alimentar

Weight variation and eating behavior: Restriction, intuitive and mindful eating and eating self-efficacy

Francielle Rodrigues da Fonseca Rech, Lydiane Bragunci Bedeschi e Rui Poínhos

Acta Portuguesa de Nutrição 2022, 28, 30-35 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2022.2806

Visualizações: 1385 | Downloads PDF: 101


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

Introdução: A dificuldade na manutenção do peso perdido e consequente variação cíclica ponderal está relacionada com o comportamento alimentar. Ao contrário da restrição alimentar, a alimentação intuitiva e consciente e a autoeficácia alimentar parecem favorecer atitudes alimentares adaptativas e favoráveis à manutenção do peso.

Objetivos: Relacionar dimensões do comportamento alimentar (controlo rígido e flexível, alimentação intuitiva, alimentação consciente e autoeficácia alimentar) com a variação ponderal.

Metodologia: Estudou-se uma amostra de conveniência de 252 adultos portugueses (71,8% sexo feminino) com idade média de 37 anos (DP = 12) e média do IMC de 24,5 kg/m2 (DP = 4,6). Os dados antropométricos (altura, peso atual e variação de peso no último ano) foram autorelatados. A variação de peso foi classificada em: “peso estável”, “perda de peso”, “ganho de peso” e “peso cíclico”. Para o comportamento alimentar aplicaram-se as Sub-Escalas de Controlo Flexível e Rígido do Comportamento Alimentar, a Escala de Alimentação Intuitiva, o Questionário de Alimentação Consciente e a Escala de Auto-Eficácia Alimentar Global.

Resultados: Quer o controlo rígido quer o flexível foram mais elevados em mulheres com variação ponderal cíclica. Por outro lado, e para ambos os sexos, a pontuação em algumas subescalas da alimentação intuitiva foi superior nos participantes com “peso estável” quando comparados com os do grupo com “ganho de peso”. No sexo masculino, os grupos “ganho de peso” e “peso cíclico” tinham um nível inferior de alimentação intuitiva do que o grupo com “peso estável”. Verifcou-se maior autoeficácia alimentar no grupo com “perda de peso” comparativamente ao grupo com “ganho de peso”.

Conclusões: Pesquisas longitudinais podem esclarecer e aprofundar a direção das relações encontradas. Todavia, esta pesquisa salienta a implicação de estratégias comportamentais baseadas nos princípios estudados que visem a gestão do peso.


Abstract







Introduction: The difficulty in maintaining weight lost and the consequent weight cycling is related to eating behavior. In contrast to eating restraint, intuitive and mindful eating and eating self-efficacy seem to improve adaptative and favorable to the weight management eating attitudes.


Objectives: To relate eating behavior dimensions (rigid and flexible control, intuitive eating, mindful eating and eating self-efficacy) with weight variation.


Methodology: We studied a convenience sample composed of 252 Portuguese adults (71.8% females) with a mean age of 37 years (SD = 12) and mean BMI of 24.5 kg/m2 (SD = 4.6). Anthropometric data (height, current weight and weight variation in the last year) were self-reported. The weight variation was classified as: "stable weight", "weight loss", "weight gain" and "cyclic weight". To study eating behavior the Subcales of Flexible and Rigid Control of Eating Behavior, the Intuitive Eating Scale, the Mindful Eating Questionnaire and the Global Eating Self-efficacy Scale were applied.


Results: Both rigid and flexible control were higher among females with “cyclic weight” variation. On the other hand, and for both sexes, the score in some subscales of intuitive eating were higher among participants with “weight stability” when compared to those with “weight gain”. Among males, the “weight gain” and “cyclic weight” groups had lower level of intuitive eating than the “stable weight” group. Higher eating self-efficacy was observed in the “weight loss” group compared to the “weight gain” group.


Conclusions: Longitudinal research can clarify and deepen the direction of the relationships found. Nevertheless, this research highlights the implication of behavioral strategies based on the principles studied aimed at weight management.










Palavras-chave: Alimentação consciente, Alimentação intuitiva, Autoeficácia alimentar, Comportamento alimentar, Controlo rígido e flexível, Estabilidade do peso