Portugal segue a tendência global – uma análise da evolução das disponibilidades alimentares e nutricionais e do Produto Interno Bruto ao longo de quatro décadas

Alexandra Bento, Tânia Cordeiro, Carla Gonçalves e Maria Daniel Vaz de Almeida

Acta Portuguesa de Nutrição 2019, 16, 10-16 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2019.1603

Visualizações: 16 | Downloads PDF: 0


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

A alimentação é um dos determinantes com maior impacto na saúde. O reconhecimento desta realidade deve conduzir a uma definição de políticas orientadas para problemas de saúde específicos e à adoção de estratégias de intervenção que privilegiem uma abordagem integrada e que visem melhorar a saúde das populações, a qualidade dos cuidados prestados e a eficiência na utilização de recursos. Para a realização deste trabalho utilizaram-se os dados relativos à disponibilidade alimentar e nutricional, provenientes das Balanças Alimentares publicadas pela Food and Agriculture Organization, de 1974 a 2013. No que respeita aos dados do produto interno bruto, foram retirados da base de dados do PORDATA. A análise da evolução da disponibilidade alimentar e nutricional mostrou a existência de diferenças no padrão alimentar e nutricional dos portugueses ao longo do período em análise. Verificou-se um aumento da disponibilidade de energia (427 kcal per capita) devido ao aumento de lípidos e proteínas de origem animal derivado essencialmente do aumento da disponibilidade de carne e leite. Permitiu verificar ainda que a melhoria do desempenho económico do país foi acompanhado pela disponibilidade energética e pela alteração da estrutura nutricional.



Palavras-chave: Balança alimentar, Disponibilidade alimentar, Disponibilidade nutricional, Produto interno bruto, Transição nutricional