EDITORIAL

Nuno Borges
Resumo

Vinte e quatro edições da Acta Portuguesa de Nutrição significam, numa aritmética simples, um total de seis anos completos de publicação. Um número que nos orgulha, mas que, ao mesmo tempo, aumenta a responsabilidade de quem, deste lado, procura assegurar que o progressivo aumento do número de submissões encontra resposta adequada e rigorosa. Serve assim esta pequena introdução para renovar os agradecimentos ao nosso corpo de revisores, a quem devemos a possibilidade de dar à estampa mais um número da Acta.

Após mais de um ano de pandemia, começam a aparecer também nesta revista artigos dedicados ao estudo das complexas interações entre a alimentação e a infeção pelo vírus SARS CoV2. Assim, dois trabalhos mostram faces muito diferentes destas relações, nomeadamente o de Portela e Cebola, com uma revisão sobre o prognóstico de COVID 19 em doentes idosos institucionalizados com desnutrição, fragilidade e sarcopenia, e ainda o trabalho de Costa e colaboradores, que reporta interessantes dados originais sobre o impacte da pandemia nos hábitos alimentares e de atividade física na Região Autónoma da Madeira.

Trabalhos muito distintos, na metodologia, no tipo de população estudada ou na repercussão dos achados, mas um ponto comum que merece certamente reflexão. O artigo de Costa et al. mostra-nos que, provavelmente mais do que as alterações alimentares, que até podem ter ido, em alguns casos, no sentido da melhoria dos hábitos, é a diminuição da atividade física o elemento de maior relevo e preocupação reportado. Acresce que esta redução afetou mais a população jovem e acompanhou-se, não surpreendentemente, de um marcado aumento do tempo sentado, um hábito hoje indiscutivelmente tido como prejudicial a vários aspetos da nossa saúde, independentemente do tempo despendido em atividade física.

Por outro lado, a revisão de Portela e Cebola mostra-nos uma outra realidade, a dos idosos, e embora ainda carente de um conjunto de trabalhos suficientemente robusto para o afirmar categoricamente, volta a apontar para a necessidade de um acompanhamento nutricional muito mais eficaz nesta faixa etária. Mas ao apontar também a sarcopenia como um importante fator agravante da resposta à COVID 19, acaba também por nos dizer que a preservação de uma massa muscular adequada ao longo da vida, nomeadamente através de um bom estado nutricional e da manutenção de níveis de atividade física apropriados, é um garante da melhor capacidade de resposta aos desafios de saúde que a idade vai colocando.

A aposta de todos no aumento da atividade física dos nossos cidadãos, jovens ou nem tanto, volta assim a emergir como um importante desígnio de saúde para os tempos atuais, desígnio este que não deve, em nossa opinião, ser nunca menorizado por todos aqueles que se dedicam à alimentação de indivíduos doentes ou saudáveis.

Alteração da Alimentação e Atividade Física em contenção social: experiência da Região Autónoma da Madeira

Food and Physical activity change during community containment: experience from Autonomous Region of Madeira
Liliane Costa; Eva Henriques; Teresa Esmeraldo
Resumo

RESUMO

Introdução: As medidas de contenção social impostas durante a pandemia COVID-19 resultaram em restrições na vida diária e, consequentemente em alterações ao estilo de vida. Conhecer o efeito destas medidas nos hábitos alimentares e atividade física será importante para definir respostas de Saúde Pública ajustadas e em tempo útil.

Objetivos: Avaliar o efeito do período de contenção social na perceção da alteração de fatores do estilo de vida relacionados com a alimentação e a atividade física.

Metodologia: Estudo observacional, transversal e descritivo, de abordagem quantitativa. A amostra foi de 407 participantes entre os 5-84 anos de idade. Um questionário foi aplicado por entrevista telefónica assistida por computador, entre os dias 22 e 29 de maio. Na comparação dos dados por grupo etário e concelho de residência foram usados os testes Qui-quadrado e Kruskal-Wallis.

Resultados: Em comparação com o período pré-contenção social, 52,1% dos respondentes considerou ter diminuído a atividade física, 51,8% aumentou o tempo sentado e 33,7% alterou a sua alimentação. O aumento do comportamento de snacking foi reportado por 63,6% dos participantes, dos 5-10 anos, e por 50,0% dos 10-17 anos. Entre os mais jovens destaca-se o aumento na ingestão de água e fruta, e a redução de refeições takeaway/entrega ao domicílio e pré-preparadas.

Conclusões: As medidas de contenção social provocaram diminuição na atividade física e a alteração de hábitos e comportamentos alimentares, principalmente entre os mais jovens.

PALAVRAS-CHAVE

Alimentação, Atividade física, Contenção social

 

ABSTRACT

Introduction: The community containment measures imposed during the COVID-19 pandemic resulted in restrictions on daily life and, consequently, changes in lifestyle. Knowing the effect of these measures on eating habits and physical activity will be important to define adjusted and timely responses of Public Health.

Objectives: To evaluate the effect of social restraint period on the perception of changes in lifestyle factors related to food and physical activity.

Methodology: Observational, cross-sectional and descriptive study, with a quantitative approach. The sample consisted of 407 participants between 5-84 years of age. A questionnaire was applied through a computer-assisted telephone interview, between May 22nd and 29th. When comparing data by age group and municipality of residence, the Chi-square and Kruskal-Wallis tests were applied.

Results: In comparison with the pre-community restraint period, 52.1% of the respondents considered having decreased physical activity, 51.8% increased sitting time and 33.7% changed their diet. The increased snacking behavior was reported by 63.6% of participants aged 5-10 years and by 50.0% aged 10-17 years. Among the youngest, there is an increase in water and fruit intake and a reduction in takeaway/home delivery and pre-prepared meals.

Conclusions: Community containment measures caused a decrease in physical activity and altered eating habits and behaviors, especially among youngers.

KEYWORDS:

Food, Physical activity, Community containment

 

Análise da Rotulagem de Suplementos Alimentares à Base de Plantas Utilizados no Sistema Nervoso Central

Analysis of the Labeling of Herbal Dietary Supplements Used in the Central Nervous System
Liliana Ferreira; Agostinho Cruz; Ana Isabel Oliveira; Rita Ferraz Oliveira; Cláudia Pinho
Resumo

RESUMO

Introdução: Os suplementos alimentares têm diversos benefícios demonstrados. No entanto, a crença errónea por parte dos consumidores de que estes são isentos de risco e as obrigações legais requeridas para a sua entrada no mercado têm servido de alerta para a necessidade de mais investigação.

Objetivos: Analisar, do ponto de vista legal e científico, a informação disponibilizada na rotulagem de suplementos alimentares à base de plantas utilizados para problemas associados ao Sistema Nervoso, comercializados em Portugal.

Metodologia: Estudo descritivo, observacional, transversal com a recolha de 44 rótulos de suplementos comercializados em Farmácias Comunitárias e em Ervanárias/Lojas Dietéticas da cidade de Vila Nova de Famalicão, entre julho e agosto de 2019, em formulário próprio.

Resultados: Do ponto de vista legal, a maioria dos SA analisados cumpriu as menções obrigatórias na rotulagem. Do ponto de vista científico, o nome científico das plantas foi a informação que mais frequentemente está presente na rotulagem, com 97,7%. A padronização dos extratos (29,5%), as interações (11,4%) e as reações adversas (11,4%) foram as informações menos mencionadas.

Conclusões: Os resultados obtidos realçam a necessidade de uma maior atenção quanto às informações existentes na rotulagem dos suplementos, no sentido de permitir aos consumidores um uso informado e seguro dos produtos.

PALAVRAS-CHAVE

Plantas medicinais, Rotulagem, Sistema Nervoso Central, Suplementos alimentares

 

ABSTRACT

Introduction: The dietary supplements have several proven benefits. However, the mistaken belief that they are risk-free, and the legal obligations required for their market entrance, have warned for the need of more investigation.

Objectives: Analyse, on legal and scientific aspects, the label of herbal dietary supplements for problems related to Central Nervous System marketed in Portugal.

Methodology: Descriptive, observational, cross-sectional study with the collection of 44 supplement labels marketed in Community Pharmacies and Herbal Food Stores from the city of Vila Nova de Famalicão, between July and August 2019, in a specific form.

Results: On a legal point of view, the majority of dietary supplements complied with the mandatory labelling mentions. From the scientific point of view, the plants’ scientific name was the most reported information in products, with 97.7%. Extracts standardization (29.5%), interactions (11.4%) and adverse effects (11.4%) were the least reported information.

Conclusions: Results highlight the need for higher concern regarding information’s present in dietary supplements labelling, in order to allow an informed and safe use by consumers.

KEYWORDS:

Medicinal plants, Label, Central Nervous System, Dietary supplements

Aleitamento materno exclusivo: Prevalência na maternidade e durante o segundo mês de vida

Breastfeeding: Prevalence and determining factors at maternity discharge and during the second month of life
Jorge Santos Silva; Filipa Flor-de-Lima; Henrique Soares
Resumo

RESUMO

Introdução: A taxa de aleitamento materno exclusivo dos recém-nascidos em Portugal mantém-se inferior às recomendações Nacionais e Internacionais.

Objetivos: O objetivo deste trabalho foi determinar a prevalência do aleitamento materno exclusivo à alta da maternidade e a sua evolução até ao segundo mês de vida.

Metodologia: Realizámos um estudo retrospetivo de recém-nascidos saudáveis nascidos no nosso hospital, de abril a novembro de 2019. Os dados referentes ao seu modo de alimentação foram recolhidos em consulta durante o segundo mês de vida.

Resultados: Dos 159 recém-nascidos estudados, o aleitamento materno exclusivo ocorreu em 80,5% à alta da maternidade, sendo a sua prevalência inferior nos nascidos por cesariana 69,7% (p= 0,019). Durante o segundo mês de vida a prevalência do aleitamento materno exclusivo ocorreu em 59,7% da amostra (p<0,001) não se demonstrando nessa altura diferenças significativas entre os diferentes modos de parto.

Discussão dos resultados: Destaca-se a relação negativa do nascimento por cesariana na prevalência do aleitamento materno exclusivo à alta da maternidade. Realça-se a importância do acompanhamento à família após a alta hospitalar, assim como, o reforço da formação continua dos profissionais de saúde.

Conclusões: A prevalência do aleitamento materno exclusivo da nossa amostra, embora inferior ao preconizado pela literatura, é sobreponível aos dados nacionais. A sua melhoria é dependente de uma estratégia clínica diferenciada para os diferentes modos de nascimento, assim como, pela implementação da Iniciativa Hospital Amigo dos Bebés.

PALAVRAS-CHAVE

Aleitamento materno exclusivo, Maternidade, Recém-nascidos

 

ABSTRACT

Introduction: The Portuguese rate of exclusive breastfeeding is lower than recommended by National and International entities.

Objectives: The aim of this study was to determine the prevalence of exclusive breastfeeding, at maternity discharge, and during the babies first two months of life.

Methodology: A retrospective study was done on a sample of healthy children born in our hospital from April to November 2019. Data regarding the babies feeding mode was obtained from parents at the babies outpatient visit.

Results: Of a total of 159 babies studied, exclusive breastfeeding occurred in 80.5% at maternity discharge. This value decreased to 69.7% (p=0.019) in those born by cesarean section. The prevalence of exclusive breastfeeding during the second month of life occurred in 59.7% of the sample (p<0.001) although no significant difference was shown to occur for the different modes of birth.

Discussion of results: Birth by cesarean section has a significant negative influence on exclusive breastfeeding at maternity discharge. Family support after maternity discharge is of primordial importance as is the continual staff training.

Conclusions: Although less prevalent than recommended, exclusive breastfeeding in our sample was in the published reference range for Portugal. It’s improvement is dependent on a clinical strategy taking into account the different birth modes and the implementation of the Baby Friendly Hospital Initiative.

KEYWORDS:

Exclusive breastfeeding, Maternity ward, Neonates

Papinhas infantis naturais e industrializadas no Brasil: o que a nutrição e a gastronomia nos revelam?

Natural and industrialized infant foods in Brazil: what does nutrition and gastronomy reveal to us?
Fabíola Pansani Maniglia; Patrícia Capreti Scavone; Mariana Barbosa Boiani; Gabriel Silveira Franco
Resumo

RESUMO

A amamentação exclusiva até aos 6 meses de idade é indicada pela Organização Mundial da Saúde. Após esta fase, o leite humano já não supre sozinho as necessidades de macro e micronutrientes da criança, propiciando o início da alimentação complementar. Este é um período de grande preocupação para os pais e cuidadores, em que não sabem o que devem ou não oferecer às crianças. Tanto a quantidade de nutrientes quanto a consistência adequada devem ser considerados. Atualmente, existe uma gama de alimentos infantis industrializados, entre eles se destacam as papas, que se apresentam salgadas e doces e oferecem praticidades aos pais e cuidadores. O objetivo do presente estudo foi de comparar os valores nutricionais e as características organolépticas, com exceção do sabor, de papas industrializadas e naturais. Foram selecionadas aleatoriamente duas marcas que comercializam papas industrializadas no Brasil, sendo que os seus ingredientes e composição nutricional foram analisados e em seguida organizados para comparação com as papas naturais. As papas naturais foram preparadas no laboratório de gastronomia da Universidade de Franca, fotografadas e seus ingredientes e nutrientes foram analisados, com o auxílio da Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Além disso, o custo de ambas as papas foi levantado. Notou-se uma importante variação nutricional, especialmente nos valores energético e de glicídios. A adição de espessantes e aditivos químicos nas papas industrializadas, foi um ponto importante para a comparação. Foi constatado que a presença de sódio em alimentos industrializados, é mais significativa do que em alimentos naturais. Outro aspecto analisado foi a consistência e viscosidade das papas industrializadas, que se mostram inadequadas por não estimular a mastigação na fase de introdução da alimentação complementar. Por fim, o custo das papas industrializadas foi três a quatro vezes mais caro do que as naturais.

PALAVRAS-CHAVE

Alimentação complementar, Alimentos infantis, Crianças, Nutrição infantil

 

ABSTRACT

Exclusive breastfeeding up to 6 months of age is indicated by the World Health Organization. After this phase, the mother's milk no longer supplies the macro and micronutrient needs of the child, initiating the beginning of complementary feeding. This is a time of great concern for parents and caregivers, who do not know what children should or should not offer. Both the amount of nutrients and the adequate consistency should be taken into account. Currently, there is a range of industrialized infant foods, which offer practicalities to parents and caregivers. The objective of the present study was to compare the nutritional values and organoleptic characteristics, except flavor, of industrialized and natural infant foods. Two brands of industrialized infant food commercialized in Brazil were randomly selected, their nutritional tables and contained ingredients were analyzed and then tabulated, and photos were made for comparison with the natural baby food. The natural foods were prepared in the gastronomy laboratory of the University of Franca, photographed, their ingredients and nutrients were analyzed, with the help of the Brazilian Table of Food Composition and these data were tabulated. In addition, their cost was considered. There was an important variation in nutritional values, especially in the energetic and glucose aspects. The addition of thickeners and chemical additives in industrialized potatoes was an important point for comparison. It was found that the presence of sodium in industrialized foods is more significant than in natural foods. Another aspect analyzed was the consistency and viscosity of the industrialized infant foods, which are shown to be inadequate due to the need to stimulate chewing in the phase of introduction of complementary feed.

KEYWORDS:

Complementary feeding, Infant foods, Children, Infant nutrition

 

Estarão as escolas do Grande Porto preparadas para alimentar crianças com doença celíaca?

Are schools in the Grande Porto prepared to feed children with celiac disease?
Sara Silva; Elisabete Pinto; Ana Pimenta Martins; Rita Jorge
Resumo

RESUMO

Introdução: Sendo a dieta isenta de glúten o único tratamento atualmente existente para a doença celíaca, as escolas, local onde as crianças permanecem grande parte do seu dia, devem assegurar uma alimentação compatível com estas necessidades.

Objetivos: Avaliar i) a perceção dos pais de crianças com doença celíaca relativamente à capacidade das escolas fornecerem refeições isentas de glúten, ii) o conhecimento dos profissionais das escolas sobre doença celíaca e sobre cuidados a ter numa dieta isenta de glúten, iii) e o impacto da realização de formação nesse conhecimento.

Metodologia: Estudo transversal, cuja amostra foi constituída por encarregados de educação de crianças celíacas, com idades compreendidas entre os 2 e os 9 anos, sócios da Associação Portuguesa de Celíacos e residentes no Grande Porto e pelos profissionais das escolas que essas crianças frequentavam. Aplicou-se um questionário aos primeiros para perceção da confiança na segurança das refeições nas escolas e um questionário sobre doença celíaca e dieta isenta de glúten a profissionais de escolas que receberam ou não formação sobre o assunto. Para testar hipóteses sobre a independência de variáveis qualitativas foram aplicados o teste de Qui-quadrado de independência ou o teste exato de Fisher. Em todos os testes de hipóteses foi considerado um nível de significância de α=5%.

Resultados: Verificou-se que apenas metade dos pais confiava que as escolas eram capazes de cumprir uma dieta isenta de glúten para os seus filhos (56,3%). Mais de metade dos profissionais das escolas nunca tinha recebido formação sobre doença celíaca, tendo-se observado diferenças estatisticamente significativas entre os profissionais que receberam ou não formação em termos de conhecimentos sobre doença celíaca.

Conclusões: Uma proporção considerável de pais de crianças celíacas não confia na segurança das refeições servidas nas escolas dos seus filhos. Revelou-se ser necessário assegurar mais formação ao serviço de alimentação e restauração das escolas. Concluiu-se ainda que é necessário trabalhar na formação para melhoria efetiva dos conhecimentos.

PALAVRAS-CHAVE

Doença celíaca, Dieta isenta de glúten, Encarregados de educação, Escolas

 

ABSTRACT

Introduction: With Gluten Free Diet being the only treatment currently available, schools, the place where children spend most of their day, must ensure a diet that meets these needs.

Objectives: To assess i) parent's perceptions of children with celiac disease regarding the ability of schools to provide gluten-free meals, ii) school professional’s knowledge of celiac disease and care in a Gluten Free Diet, iii) and the impact of training on it.

Methodology: Cross-sectional study, whose sample consisted of parents of celiac children, aged 2 to 9 years, members of the Associação Portuguesa de Celíacos and residents of Greater Porto and the school professionals that these children attended. A questionnaire was applied to the first ones to understand their confidence on the safety of meals in schools and, subsequently, a questionnaire about celiac disease and Gluten Free Diet was applied to professionals from schools who received or not training about this issue. To test hypotheses about the independence of qualitative variables, the Chi-square independence test or Fisher's exact test were applied. In all hypothesis tests a significance level of α = 5% was considered.

Results: It was found that only half of parents trusted that schools were able to comply with a Gluten Free Diet for their children (56.3%). More than half of school professionals had never received training on celiac disease, having been observed statistically significant differences between untrained and trained professionals in terms of knowledge about celiac disease.

Conclusions: A considerable proportion of parents of celiac children don’t trust on the safety of meals served in their children's schools. Further training in the food and catering service is needed. It was also concluded that training provided was not sufficient for effective improvement of knowledge.

KEYWORDS: Celiac disease, Gluten free diet, Parents, Schools

Análise da efetividade da Terapêutica Nutricional no controlo da Diabetes Mellitus tipo 2

Nutritional Therapy Effectiveness Analysis in the Control of Type 2 Diabetes Mellitus
Clara Novais; Isabel Monteiro
Resumo

RESUMO

Introdução: A Terapêutica Nutricional individualizada constitui, a par da farmacoterapia, um fator fundamental no controlo da Diabetes Mellitus tipo 2. A avaliação da efetividade da Terapêutica Nutricional em adultos com Diabetes Mellitus tipo 2 passa pelo controlo glicémico, redução de fatores de risco cardiovascular, redução do peso e/ou prevenção do seu ganho, diminuição do uso de fármacos e aumento da qualidade de vida.

Objetivos: Este estudo teve como objetivo analisar a efetividade da Terapêutica Nutricional no controlo da Diabetes Mellitus tipo 2 em adultos pela avaliação da evolução do perfil glicémico e evolução ponderal.

Metodologia: Recolheram-se dados sociodemográficos, analíticos e antropométricos de 75 indivíduos com diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2, acompanhados durante 3 anos numa Consulta de Nutrição dos Cuidados de Saúde Primários. Os resultados são apresentados como média ± desvio-padrão. Para o estudo estatístico aplicou-se o teste t-Student para variáveis normais, e o teste Wilcoxon para as restantes variáveis.

Resultados: Observaram-se melhorias, estatisticamente significativas na avaliação antropométrica: peso (-0,8 Kg) e Índice de Massa Corporal (-0,7 Kg/m2) e perfil glicémico: HbA1c (-0,6%) e glicemia em jejum (-21 mg/dl) após 3 meses de Terapêutica Nutricional, bem como a longo prazo: peso (-7,8 Kg), Índice de Massa Corporal (-2,5 Kg/m2) e glicemia em jejum(-28 mg/dl).

Conclusões: Perante as melhorias significativas verificadas ao nível da evolução ponderal e perfil glicémico 3 meses após o início da Terapêutica Nutricional e quando se comparou os dados iniciais com os obtidos aos 3 anos de Terapêutica Nutricional, é possível inferir que a Terapêutica Nutricional individualizada é efetiva no controlo da Diabetes Mellitus tipo 2, pelo que deveria ser disponibilizada a todos os indivíduos com este diagnóstico. Assim, é importante sensibilizar a população para a sua relevância e importância da sua manutenção a longo prazo e os gestores para a dotação de rácios adequados de Nutricionistas nos Cuidados de Saúde Primários.

PALAVRAS-CHAVE

Diabetes, Perfil glicémico, Peso, Terapêutica nutricional

 

ABSTRACT

Introduction: Individualized Nutritional Therapy is, together with pharmacotherapy, a fundamental factor in the control of type 2 Diabetes Mellitus. Evaluation of the effectiveness of Nutritional Therapy in adults with type 2 Diabetes Mellitus involves glycemic control, reduction of cardiovascular risk factors, weight reduction and/or prevention of weight gain, decreased drug use and increased quality of life.

Objectives: This study aimed to analyze the effectiveness of Nutritional Therapy in controlling type 2 Diabetes Mellitus in adults by assessing the evolution of glycemic profile and weight evolution.

Methodology: Sociodemographic, analytical and anthropometric data were collected from 75 subjects with type 2 Diabetes Mellitus followed for 3 years at the Nutrition Consultation of a Primary Health Care Unit. Results are presented as mean ± standard deviation. For the statistical study we used the Student t-test for normal variables and the Wilcoxon test for the remaining variables.

Results: Statistically significant improvements were observed in anthropometric assessement: weight (-0.8 kg) and Body Mass Index (-0.7 kg/m2) and glycemic profile: HbA1c (-0.6%) and fasting blood glucose (-21 mg/dl) after 3 months of Nutritional Therapy, as well as long-term: weight (-7.8 kg), Body Mass Index (-2.5 kg/m2) and fasting blood glucose (-28 mg/dl).

Conclusions: Considering the significant improvements were observed in terms of weight evolution and glycemic profile 3 months after the onset of Nutritional Therapy and when the initial data were compared with those obtained at 3 years of Nutritional Therapy, it can be inferred that individualized Nutritional Therapy is effective in controlling type 2 Diabetes Mellitus, therefore, it should be available to all individuals with this diagnosis. Thus, it is important to make the population aware of its relevance and importance of its long-term maintenance, and managers to provide adequate ratios of Nutritionists in Primary Health Care.

KEYWORDS

Diabetes, Glycemic profile, Weight, Nutritional therapy

Quantificação do Desperdício Alimentar em Refeitórios Escolares: Impacto de uma Campanha de Sensibilização

Quantification of food waste in school canteens: Impact of an awareness campaign
Patrícia Moreira; Helena Ávila; Maria João Correia
Resumo

RESUMO

Introdução: O desperdício alimentar acarreta implicações éticas, económicas, ambientais e nutricionais, sobretudo a nível escolar. Uma unidade de alimentação coletiva deverá assegurar refeições seguras e adequadas nutricionalmente, podendo os benefícios da sua ingestão nem sempre serem garantidos se o desperdício alimentar se revelar elevado.

Objetivos: Quantificar o desperdício alimentar resultante de refeições servidas ao almoço em quatro unidades de restauração coletiva do ensino básico e secundário de um município português, com avaliação da eficácia de uma campanha de sensibilização.

Metodologia: O estudo foi dividido em três etapas. Na primeira etapa quantificou-se o desperdício alimentar; na segunda, realizou-se uma campanha de sensibilização em duas escolas e, na terceira etapa, fez-se uma nova quantificação do desperdício alimentar. Para o cálculo da sobra e resto, considerou-se o método físico de pesagem. Através da entrega e análise de um questionário pretendeu-se elencar os fatores promotores de desperdício em duas escolas.

Resultados: Verificou-se um desperdício alimentar de 32,3% (considerando prato e sopa) na primeira quantificação e 21,9% na segunda quantificação. Após intervenção, verificou-se que a campanha de sensibilização foi impactante na redução do desperdício alimentar. Quando comparadas as escolas com e sem intervenção relativamente ao desperdício alimentar verificou-se uma diminuição no desperdício obtido entre a primeira e segunda quantificação. Relativamente ao desperdício de conduto, verificou-se um índice de resto de 18,1% para “pescado” e de 11,8% para “carne”, sem significado estatístico. Os principais fatores promotores de desperdício alimentar encontrados foram: barulho durante a hora de almoço, lotação do refeitório e ementa servida.

Conclusões: O presente trabalho vem expor a necessidade de se considerarem diversos fatores como influenciadores do desperdício, nomeadamente a refeição, mas também todo o ambiente envolvente, desde a qualidade do serviço ao próprio espaço físico onde se realizam as refeições.

PALAVRAS-CHAVE

Alimentação coletiva, Desperdício alimentar, Inquéritos, Quantificação, Refeitórios escolares

 

ABSTRACT

Introduction: Food waste culminates in ethical, economical, environmental and nutritional implications, having more emphasis at school level. A collective feeding unit should guarantee the supply of secure and nutritional appropriated meals. However, the benefits of its ingestion may not always be guaranteed and if it is verified a high food waste.

Objectives: Quantification of the food waste resulting from a lunch in four collective restauration units, i.e. one middle school and one high school. Also, the efficiency of the awareness campaign to the reduction of food waste was assessed.

Methodology: The present study is divided into three phases. The first phase was developed to quantify the food waste in schools. The second phase carried out an awareness campaign in two of the four schools inspected. The food waste was also quantified in the third phase. For the quantification of the leftovers and remain food, the physical method of weighing was considered. Through the delivery and analysis of a questionnaire, it was intended to list the predictor´s that promote waste in two schools.

Results: A total wastage of 35.1% and 21.9% corresponding, respectively, to the first and second quantification was verified in the whole meal (dish and soup). The sensitization campaign contributed significantly for the reduction of the food waste. The comparison between the schools subjected to intervention campaigns regarding the food waste showed a significant decrease of the food waste, when compared to the initial phase between the first and second quantifications. Regarding the protein component there was a rest index of 18.1% for fish and 11.8% for meat, without statistical significance. The main predictor´s of food waste found were: noise during school lunch, many people in lunch time, and menu served.

Conclusions: The conducted study increased the scientific spirit, showing the need of considering other food waste predictors which may influence this problem.

KEYWORDS

Feeding unit, Food waste, Surveys, Quantification, Contract catering

Máquinas de Venda Automática de Alimentos/ Bebidas da Universidade do Porto: caracterização da oferta alimentar

Vending machines for food/ beverages at the University of Porto: food supply characterization
Inês Cruz Dias; Rosa Tavares; Bela Franchini; Sara Rodrigues
Resumo

RESUMO

Introdução: A entrada no ensino superior é um período transicional muito importante pela aquisição de uma maior independência nas escolhas alimentares. Nos últimos anos, tem aumentado o número de Máquinas de Venda Automática de Alimentos e Bebidas nos estabelecimentos de ensino, contribuindo para a oferta alimentar institucional.

Objetivos: Caracterizar a oferta de alimentos e bebidas nas Máquinas de Venda Automática de Alimentos e Bebidas da Universidade do Porto.

Metodologia: Desenvolvimento e aplicação de um formulário para avaliação da oferta alimentar das Máquinas de Venda Automática de Alimentos e Bebidas presentes nas 14 faculdades e nos 2 cafés E-learning da Universidade do Porto. A recolha de dados foi efetuada no 2.º semestre do ano letivo 2018/2019. Entre todas as máquinas de bebidas quentes avaliadas foram escolhidas 6 máquinas, uma de cada uma das empresas fornecedoras identificadas, para a recolha de amostras do açúcar padrão e máximo disponibilizado. A categorização dos alimentos e bebidas em permitidos e proibidos, bem como, a análise das quantidades de açúcar disponibilizadas, seguiram o estabelecido no Despacho 7516-A/2016.

Resultados: Nas 123 máquinas avaliadas, os géneros alimentícios encontrados com maior frequência foram os refrigerantes (16,7%), as águas sem gás (16,3%) e os produtos de pastelaria (10,9%). Nos equipamentos avaliados, 49% dos géneros alimentícios presentes (com uma variação de 15,6% a 56,3% nos diferentes locais) foram considerados como proibidos. Não existiram diferenças significativas na disponibilização de géneros alimentícios permitidos e proibidos em Máquinas de Venda Automática de Alimentos e Bebidas instaladas em faculdades da área de saúde e de outras áreas. Nenhuma distribuidora cumpriu com os 5 g de açúcar máximo definido.

Conclusões: Perante os dados obtidos, parece evidente a necessidade de reformular a oferta alimentar nestes equipamentos da Universidade do Porto, no sentido de melhorar a qualidade dos géneros alimentícios disponibilizados e promover escolhas alimentares mais adequadas.

PALAVRAS-CHAVE

Ambiente obesogénico, Disponibilidade alimentar, Estudantes universitários, Máquinas de Venda Automática de Alimentos e Bebidas, Universidade do Porto

 

ABSTRACT

Introduction: Enrolling higher education is an important transitional period due to the acquiring of greater independence in food choices. In the last years, Vending machines for food and beverages have increased their prevalence and have amplified their influence on the population daily energy consumption

Objectives: Characterize the food and beverages in the vending machines for food and beverages from the University of Porto.

Methodology: Development and application of a form to evaluate the food supply from the vending machines for food and beverages present in the 14 faculties and in the 2 E-learning cafes of the University of Porto. Data collection was carried out in the second semester of the 2018/2019 school year. In between all the hot beverages machines evaluated, 6 machines were chosen, one from each supplier companies, to collect samples of the standard and maximum sugar available. The categorization of food and beverages into permitted and prohibited, as well as the analysis of the quantities of sugar available, followed the established in Despacho 7516-A / 2016.

Results: In the 123 machines evaluated, the most frequent food and beverages were soft drinks (16.7%), still water (16.3%) and pastry products (10.9%). In the evaluated institutions, 49% of the products available (with a variation of 15.6% to 56.3% in the different locations) were considered as forbidden. There were no significant differences in the availability of permitted and forbidden products between health faculties and other areas ones´. None of the supplier companies complied with the 5 g for maximum sugar amount.

Conclusions: Given the data obtained, it seems evident the need to reformulate the supply in the vending machines for food and beverages of the University of Porto, to improve the quality of the available products and to promote better food choices.

KEYWORDS

Obesogenic environment, Food availability, University students, Vending machines for food and beverages, University of Porto

Desperdício alimentar numa população sem-abrigo: estudo de caso

Food waste of a homeless population: a case study
Margarida Liz Martins; Maria João Veiga; Ada Rocha
Resumo

RESUMO

O desperdício alimentar tem sido alvo de especial atenção nos últimos anos e a sua dimensão tem gerado preocupação a nível dos governos e da sociedade civil em geral. Este estudo foi realizado numa Instituição que alberga e apoia os sem-abrigo na cidade do Porto e teve como objetivo quantificar o desperdício alimentar na instituição e identificar as suas causas. A quantificação do desperdício sob a forma de sobras e restos foi realizada durante 21 dias, incluindo as refeições do almoço e jantar servidos a um total de 60 utentes. Para avaliação do desperdício foi utilizado o método de pesagem agregada não seletiva, com pesagem inicial da quantidade total de alimentos confecionados, pesagem dos alimentos confecionados, mas não servidos (sobras) e dos restos após o consumo das refeições. No prato, verificou-se um valor médio de 17,5% para as sobras e 18,9% para os restos. Relativamente à sopa, observou-se um valor médio de 10,5% para as sobras e de 13,1% para os restos. Apesar das diferenças não serem estatisticamente significativas (p>0,05), nos pratos cujo método de confeção foi o estufado e/ou o cozido, verificaram-se percentagens mais elevadas de sobras do que nos pratos cujo método de confeção foi o assado ou frito. A ementa influenciou o desperdício alimentar, verificando-se que para algumas ementas não existiam sobras. A taxa de utentes faltosos influenciou significativamente (p<0,05) a percentagem de sobras do prato.

O desperdício alimentar observado implica uma classificação do serviço de alimentação como “mau”. A ementa e o número de utentes faltosos foram causas do desperdício alimentar nesta instituição.

PALAVRAS-CHAVE

Desperdício alimentar, Restos, Sem-abrigo, Sobras

 

ABSTRACT

Food waste has been the focus of particular attention in the last few years and its dimension has raised concern of governments and civil society in general. This study was conducted in a Social Institution which supports the homeless in the city of Porto. The aim of this study was to quantify the food waste and identify its causes.

Food waste evaluation was performed during 21 days, including lunch and dinner meals for a total of 60 individuals. Aggregated weighing method was used for evaluate food waste. The amount of food prepared was weighed, as well as, food prepared but not served (leftovers) and food remaining after meals consumption (plate waste).

For dish, it was found a mean value of 17.5% for leftovers and 18.9% for plate waste. Regarding soup, it was observed 10.5% for leftovers and 13.1% for plate waste.

Despite the differences were not statistically significant (p>0.05), in the dishes whose cooking methods were stuffed and/or boiled, there were higher percentages of leftovers than in baked and fried dishes. Menu influenced food waste, proving by no leftover for some menus.

The number of missing users influenced (p<0.05) the percentage of the leftovers.

Food waste values observed implies a food service classification as "bad". The menu and the number of missing users determined food waste at this Institution.

KEYWORDS

Food waste, Leftovers, Homeless, Plate waste

Literacia Nutricional e Literacia Alimentar: Uma Revisão narrativa sobre Definição, Domínios e Ferramentas de Avaliação

Nutrition Literacy and Food Literacy: A narrative Review of Definition, Domains and Measurement Tools
Rafael Torres, Helena Real
Resumo

RESUMO

O aumento das doenças relacionadas com a alimentação tem sido associado a maus hábitos alimentares e a baixos níveis de conhecimentos e competências relacionados com a alimentação. Por isso mesmo a Literacia Alimentar e a Literacia Nutricional têm ganho cada vez mais relevância na promoção da saúde.

A Literacia Nutricional concentra-se nas capacidades para compreender informações relacionadas com nutrientes, enquanto que a Literacia Alimentar constitui um conceito mais holístico, capaz de abordar todos os conhecimentos e competências necessários para escolhas alimentares e comportamentos mais saudáveis. Tendo em conta a falta de consenso na literatura relativamente a estes dois conceitos, a definição de Vidgen & Gallegos (2014) sobre Literacia Alimentar é a mais completa e inclusiva até à data.

Foram analisadas 18 ferramentas de avaliação de Literacia Nutricional e Literacia Alimentar, e identificadas as ferramentas SPFL e IT-FLS como as mais indicadas para uma futura aplicação na população portuguesa. Apesar disto, existe ainda necessidade de uma maior investigação no sentido de desenvolver uma ferramenta suficientemente abrangente que permita avaliar e comparar níveis de Literacia Alimentar como um todo, e por sua vez trabalhar na melhoria da saúde das populações.

PALAVRAS-CHAVE

Ferramentas de avaliação, Literacia alimentar, Literacia nutricional, População portuguesa

ABSTRACT

The increase in diseases related to eating habits has been associated with poor eating habits and low levels of knowledge and skills related to food. For this reason, Food Literacy and Nutritional Literacy have become increasingly important in health promotion.

Nutritional Literacy focuses on the ability to understand information related to nutrients, while Food Literacy is a more holistic concept, capable of addressing all the knowledge and necessary skills for healthier food choices and behaviors. Taking into account the lack of consensus in the literature regarding these two concepts, Vidgen & Gallegos (2014) definition of Food Literacy is the most complete and inclusive to date.

Eighteen assessment tools for Nutritional Literacy and Food Literacy were analyzed, and the SPFL and IT-FLS tools were identified as the most suitable for future application in the Portuguese population. Despite this, there is still a need for further research in order to develop a sufficiently comprehensive tool to assess and compare levels of Food Literacy as a whole, and in turn work on improving the health of populations.

KEYWORDS

Measurement tools, Nutrition literacy, Food literacy, Portuguese population

 

Prognóstico da COVID-19 em idosos institucionalizados e com desnutrição, fragilidade e sarcopenia: Revisão de Escopo

COVID-19 prognosis in institutionalized older people and with malnutrition, frailty and sarcopenia: Scoping Review
Vânia Portela; Marisa Cebola
Resumo

RESUMO

Introdução: Os idosos em estruturas residenciais apresentam elevada prevalência de desnutrição, fragilidade e sarcopenia, condições que podem ter implicações negativas na atual pandemia COVID-19.

Objetivos: Proceder a uma revisão de escopo de forma a mapear a evidência da desnutrição, fragilidade e sarcopenia como fator prognóstico da COVID-19 em idosos institucionalizados.

Metodologia: Análise da literatura publicada entre maio e setembro de 2020 na base de dados eletrónica Pubmed, utilizando os termos “covid 19”, “nursing homes”, “malnutrition”, “frailty” e “sarcopenia”, de acordo com as recomendações PRISMA-ScR.

Resultados: Dos 14 estudos selecionados, 3 analisaram o prognóstico da COVID-19 em estruturas residenciais para idosos, 2 investigaram a progressão da COVID-19 em idosos com desnutrição e 9 com fragilidade. A revisão da literatura sugere os funcionários como vetor importante na transmissão e propagação do coronavírus em idosos institucionalizados e a elevada mortalidade parece estar relacionada com complicações da própria doença. Os idosos em risco nutricional apresentam piores outcomes clínicos enquanto os frágeis são associados a outras causas de morte não relacionadas com complicações da COVID-19. Desconhecem--se as implicações da sarcopenia na evolução da COVID-19.

Conclusões: A evidência atual é insuficiente para se estabelecer uma associação entre a desnutrição, fragilidade e sarcopenia e o prognóstico da infeção pelo novo coronavírus em idosos institucionalizados. No entanto, a recente pandemia veio reforçar a vulnerabilidade desta população e a necessidade da avaliação e intervenção nutricional nos cuidados geriátricos, sendo também necessária mais investigação que relacione a nutrição e a COVID-19 em estruturas residenciais para pessoas idosas.

PALAVRAS-CHAVE

COVID-19, Desnutrição, Estruturas residenciais, Fragilidade, Sarcopenia

ABSTRACT

Introduction: Older people in nursing homes have a high prevalence of undernutrition, frailty and sarcopenia conditions that may have negative implications for the current COVID-19 pandemic.

Objectives: Proceeding a scope review to mapping the evidence of undernutrition, frailty and sarcopenia as a prognosis factor of COVID-19 in institutionalized older people.

Methodology: Analysis of the literature published between May and September 2020 in the Pubmed electronic database, using the terms "covid 19", "nursing homes", "malnutrition", "frailty" and "sarcopenia", following the PRISMA-ScR recommendations.

Results: Of the 14 studies selected, 3 analyzed the prognosis of COVID-19 in nursing homes, 2 investigated the progression of COVID-19 in undernutrition older people and 9 with frailty. Literature review suggests staff as an important vector in transmission and propagation of coronavirus in institutionalized older people and high mortality seems to be related to disease complications. Older people at nutritional risk present worse clinical outcomes while frailty is associated with other causes of death not related to COVID-19 complications. Implications of sarcopenia in the evolution of COVID-19 are unknown.

Conclusions: Current evidence is insufficient to establish an association between undernutrition, frailty and sarcopenia and prognosis of new coronavirus infection in institutionalized older people. However, recent pandemic reinforced the vulnerability of this population and the need for a nutritional assessment and intervention in geriatric care. More research is needed to link nutrition and COVID-19 in nursing homes.

KEYWORDS

COVID-19, Undernutrition, Nursing homes, Frailty, Sarcopenia

 

Ácido Aristolóquico – Nefropatia e o Cancro

Aristolochic Acid - Nephropathy and Cancer
Bruna Faria; Cátia Bispo; Mariana Cordeiro; Ana Baltazar
Resumo

RESUMO

O ácido aristolóquico é um composto natural tóxico, proveniente da família de uma herbácea perene, Aristolochia. Este pertence à família de ácidos nitrofenantrol carboxílicos e é uma mistura de dois ácidos estruturalmente semelhantes: ácido aristolóquico I e ácido aristolóquico II. As espécies de plantas que contém ácido aristolóquico são utilizadas essencialmente na medicina tradicional chinesa.

Este artigo pretende rever a relação entre o efeito tóxico do ácido aristolóquico e a ocorrência de nefropatia e cancro.

A ingestão de ácido aristolóquico provoca nefrotoxicidade, genotoxicidade e carcinogenicidade. A nefropatia por ácido aristolóquico e a nefropatia endémica nos Balcãs são causadas pela intoxicação alimentar por ácido aristolóquico e estão associadas à ocorrência de carcinoma urotelial do trato urinário superior. O ácido aristolóquico foi classificado como carcinogénico do grupo I pela International Agency for Research on Cancer.

O conhecimento da relação direta entre os efeitos tóxicos do consumo de ácido aristolóquico e de nefropatia por ácido aristolóquico e carcinoma urotelial do trato urinário superior deve ser considerada importante para a sua futura prevenção.

PALAVRAS-CHAVE

Ácido Aristolóquico, Ácido Aristolóquico e Cancro, Nefropatia por Ácido Aristolóquico

 

ABSTRACT

Aristolochic acid is a natural toxic compound, from the family of a perennial herb, Aristolochia. It belongs to the family of nitrophenanthrole carboxylic acids and is a mixture of two structurally similar acids: aristolochic acid I and aristolochic acid II. Plant species containing aristolochic acid were used primarily in traditional Chinese medicine.

The aim of this article is to review the relationship between the toxic effect of aristolochic acid and the occurrence of nephropathy and cancer.

Ingestion of aristolochic acid causes nephrotoxicity, genotoxicity and carcinogenicity. Aristolochic acid nephropathy and endemic nephropathy in the Balkans are derived from aristolochic acid food poisoning and are highly associated with the occurrence of urothelial carcinoma of the upper urinary tract. Aristolochic acid was classified as a group I carcinogen by the International Agency for Research on Cancer.

The knowledge of the direct relationship between the toxic effects of aristolochic acid consumption and the occurrence of aristolochic acid nephropathy and urothelial carcinoma of the upper urinary tract should be considered important for its future prevention.

KEYWORDS

Aristolochic acid, Aristolochic Acid and Cancer, Aristolochic Acid Nephropathy

 

Sucralose: amiga ou inimiga?

Sucralose: friend or enemy?
Daniela Correia; Mayumi Thaís Delgado; Sofia Costa Dinis
Resumo

RESUMO

O uso de edulcorantes é uma estratégia para a diminuição do consumo de açúcar. A sucralose é dos mais utilizados, sendo descrita como segura por diferentes entidades de referência, como a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Food & Drug Administration. Mas sendo as publicações por tais entidades anteriores a 2017, torna-se importante atualizar o conhecimento científico. Foi feita uma pesquisa na base de dados Pubmed com o termo “sucralose AND health”, para os últimos 5 anos. Os principais temas abordados são a relação entre a ingestão de sucralose e a gestão da glicémia, ganho de peso, risco de desenvolvimento de síndrome metabólica e alteração da microbiota intestinal, com resultados, em geral, inconclusivos. Surgem estudos que levantam preocupações sobre exposição no útero e possível insegurança da sucralose, ainda pouco representativos. Contudo, perante a evidência atual, não é possível aferir que a sucralose leve a efeitos negativos na saúde, quando respeitado a ingestão diária aceitável (ADI, Acceptable Daily Intake).

PALAVRAS-CHAVE

Edulcorantes, Saúde, Segurança Alimentar, Sucralose

ABSTRACT

The use of sweeteners is a strategy for reducing sugar consumption. Sucralose is one of the most used, being described as safe by different reference entities, such as European Food Safety Authority and Food & Drug Administration. But since the publications by these entities are prior to 2017, it is important to update scientific knowledge. A search was made in the Pubmed database with the term “sucralose AND health”, for the last 5 years. The main topics addressed are routes associated with blood glucose management, weight gain, metabolic syndrome and intestinal microbiota, with results in general inconclusive. Studies are emerging that raise concerns about exposure in the uterus and possible insecurity of sucralose. Even so, based on current evidence, it´s not possible to assess that sucralose leads to negative health effects, when the ADI is respected. But its use/consumption should be moderate, since the long-term effects are not fully known.

KEYWORDS

Sweeteners, Health, Food Safety, Sucralose

Edição nº24

Resumo

[av_four_fifth first min_height='' vertical_alignment='' space='' custom_margin='' margin='0px' padding='0px' border='' border_color='' radius='0px' background_color='' src='' background_position='top left' background_repeat='no-repeat' animation='' mobile_display=''] [av_magazine link='portfolio_entries,51' items='-1' offset='0' tabs='aviaTBtabs' thumbnails='aviaTBthumbnails' heading='' heading_link='manually,http://' heading_color='theme-color' heading_custom_color='#ffffff' first_big_pos='top'] [/av_four_fifth] [av_one_fifth min_height='' vertical_alignment='' space='' custom_margin='' margin='0px' padding='0px' border='' border_color='' radius='0px' background_color='' src='' background_position='top left' background_repeat='no-repeat' animation='' mobile_display=''] [av_hr class='default' height='50' shadow='no-shadow' position='center' custom_border='av-border-thin' custom_width='50px' custom_border_color='' custom_margin_top='30px' custom_margin_bottom='30px' icon_select='yes' custom_icon_color='' icon='ue808'] [av_image src='https://actaportuguesadenutricao.pt/wp-content/uploads/2021/05/edição-24-211x300.png' attachment='3184' attachment_size='medium' align='center' styling='' hover='' link='manually,https://actaportuguesadenutricao.pt/wp-content/uploads/2021/05/ACTA_24_low.pdf' target='_blank' caption='' font_size='' appearance='' overlay_opacity='0.4' overlay_color='#000000' overlay_text_color='#ffffff' animation='no-animation'][/av_image] [av_button label='Pesquisa avançada' link='page,30' link_target='' size='small' position='center' icon_select='yes' icon='ue803' font='entypo-fontello' color='theme-color' custom_bg='#444444' custom_font='#ffffff'] [/av_one_fifth]