Ácido Aristolóquico – Nefropatia e o Cancro

Bruna Faria, Cátia Bispo, Mariana Cordeiro e Ana Baltazar

Acta Portuguesa de Nutrição 2021, 24, 70-75 , https://dx.doi.org/10.21011/apn.2021.2413

Visualizações: 120 | Downloads PDF: 4


Download PDF See metadata Add to Mendeley Cite

Resumo

O ácido aristolóquico é um composto natural tóxico, proveniente da família de uma herbácea perene, Aristolochia. Este pertence à família de ácidos nitrofenantrol carboxílicos e é uma mistura de dois ácidos estruturalmente semelhantes: ácido aristolóquico I e ácido aristolóquico II. As espécies de plantas que contém ácido aristolóquico são utilizadas essencialmente na medicina tradicional chinesa.

Este artigo pretende rever a relação entre o efeito tóxico do ácido aristolóquico e a ocorrência de nefropatia e cancro.

A ingestão de ácido aristolóquico provoca nefrotoxicidade, genotoxicidade e carcinogenicidade. A nefropatia por ácido aristolóquico e a nefropatia endémica nos Balcãs são causadas pela intoxicação alimentar por ácido aristolóquico e estão associadas à ocorrência de carcinoma urotelial do trato urinário superior. O ácido aristolóquico foi classificado como carcinogénico do grupo I pela International Agency for Research on Cancer.

O conhecimento da relação direta entre os efeitos tóxicos do consumo de ácido aristolóquico e de nefropatia por ácido aristolóquico e carcinoma urotelial do trato urinário superior deve ser considerada importante para a sua futura prevenção.



Palavras-chave: Ácido Aristolóquico, Ácido Aristolóquico e Cancro, Nefropatia por Ácido Aristolóquico