EDITORIAL

Nuno Borges
Resumo

Em mais uma edição da Acta Portuguesa de Nutrição, são dados à estampa diversos artigos originais que demonstram o interesse e a pujança da investigação científica nesta área do saber. De igual modo, maio é o mês tradicionalmente ligado ao Congresso de Nutrição e Alimentação, e que este ano, na sua XVI edição, tem como tema de fundo a sustentabilidade alimentar. Com a presença de dois artigos por extenso e de um resumo (vencedor do prémio de melhor comunicação livre no 2.º Congresso Nacional de Nutrição, de Moçambique) dedicados ao tema do desperdício alimentar, parece oportuno refletir sobre estas importantes questões.

Assim, nunca como hoje os problemas da sustentabilidade alimentar se colocaram nos mais diversos fóruns de debate. São questões que unem a ecologia, a economia e as ciências da nutrição, procurando-se congregar as diferentes visões e interesses dos vários interlocutores numa visão consensual, o que nem sempre tem sido fácil.

A contribuição que as ciências da nutrição têm dado para este debate é relevantíssima e desdobra-se em vários temas, como o do desperdício alimentar (bem espelhado nos já referidos artigos desta edição), mas também o da importância reconhecida do uso de produtos alimentares locais e com respeito pela respetiva sazonalidade, no contexto de um padrão alimentar saudável, mostrando assim, de forma clara, que mais sustentabilidade pode significar também mais saúde para as populações. A produção, transporte e comercialização dos alimentos são, no seu conjunto, o fator de maior impacto no ambiente do nosso planeta, pelo que as contribuições para a melhoria deste problema serão sempre do maior interesse.

Como já foi apontado, reconhece-se hoje que a aposta na produção local, o respeito pela sazonalidade dos produtos alimentares, a moderação no consumo de produtos de origem pecuária ou as medidas que conduzam à diminuição do desperdício de alimentos em qualquer dos pontos da cadeia alimentar, constituem ações que não só minimizarão os reconhecidos efeitos ambientais como contribuirão para uma dieta mais saudável para todos. E não podemos olvidar que de uma melhor oferta alimentar resultará indiscutivelmente melhor saúde, o que contribuirá para um outro tipo de sustentabilidade: a dos sistemas de saúde, cada vez mais sobrecarregados com os custos das doenças crónicas não transmissíveis e cuja fração atribuível à má alimentação é importantíssima.

Avaliação e controlo do desperdício alimentar em refeitórios escolares do Município de Barcelos

Lillian Araújo; Ada Rocha
Resumo

RESUMO

Introdução: O desperdício alimentar, entendido como os alimentos ainda próprios para consumo que são eliminados por ação ou omissão humana, tem-se revelado nos últimos anos um tema de interesse crescente. Em Portugal, cerca de 400.000 crianças do 1.º ciclo do ensino básico consomem o almoço escolar diariamente. A pertinência do estudo do desperdício alimentar neste contexto prende-se não só com os efeitos deste fenómeno a nível ambiental, social e económico, mas particularmente com as consequências nutricionais.

Objetivos: O presente trabalho visa avaliar a dimensão do desperdício alimentar em refeitórios escolares de Jardins de Infância e das Escolas Básicas do 1.º Ciclo do Município de Barcelos.

Metodologia: Esta investigação teve como alvo os estudantes de quatro escolas do Município de Barcelos, totalizando 293 alunos. Foi dividida em três fases, na primeira foi efetuada a quantificação do desperdício alimentar em contexto escolar, utilizando-se como procedimento a pesagem agregada seletiva. Na segunda etapa foi levada a cabo uma intervenção tendo em vista a sensibilização dos educadores, educandos e tarefeiras sobre o desperdício alimentar. Na terceira fase foi novamente efetuada a quantificação do desperdício alimentar, utilizando o mesmo procedimento da primeira fase.

Resultados: Verificou-se que da totalidade dos alimentos preparados nas escolas eram desperdiçados 11,5% antes da intervenção e 11,2% depois da intervenção. Nas instituições onde não houve sensibilização, a dimensão total de desperdício aumentou de 18,1% para 21,4%, enquanto que nas escolas onde se realizou uma ação de sensibilização a quantidade de resíduos decresceu de 32,4% para 28,2%. Observou-se ainda que a possibilidade das crianças saírem da cantina antes de consumirem a totalidade da refeição, bem como a presença de um número diminuto de tarefeiras a acompanhar a refeição, são fatores associados de altos níveis de desperdício alimentar no almoço escolar.

Conclusões: Neste estudo foi possível notar uma diminuição na quantidade de alimentos desperdiçados, o que parece indicar que a sensibilização sobre o desperdício alimentar poderá ser uma estratégia eficaz na redução do volume de desperdício nas escolas.

PALAVRAS-CHAVE

Crianças, Desperdício alimentar, Refeitório escolar, Sensibilização

ABSTRACT

Introduction: Food waste is the amount of food that remains proper for consumption but that is discarded by human action or omission. Due to the enormous amount of food wasted worldwide this is a subject of increasing interest in the last years. In Portugal about 400,000 children attend to the 1st grade of basic education and most of them have lunch at school daily. The relevance of evaluating food waste in this scenario includes its effects on the environment, society and economy but particularly focusing on its nutritional consequences on children’s daily intake.

Objectives: This study aimed to assess the extent of food waste in the school lunch provided for nursery children and 1st grade students in the Municipality of Barcelos, in Portugal.

Methodology: Four schools totaling 293 students were involved in this research. This study was divided into three phases, the first was developed to quantify the food waste in schools, using the selective aggregate weighing. In the second phase an intervention was carried out to raise awareness of educators, students and canteen staff about food waste. And, in the third phase, the food waste was again quantified using the same procedure used in the first phase.

Results: It was found that from the total amount of food produced in schools, 11,5% was wasted in the first stage and 11,2% in the second one. In schools without an intervention, the total amount of waste increased from 18,1% to 21,4%, while in schools where a sensitization action was taken, the amount of waste decreased from 32,4% to 28,2%. It was observed that the possibility of children leaving the canteen before consuming the whole meal as well as the presence of a small number of workers to accompany the meal are associated factors with high levels of food waste at school.

Conclusions: In this study, the results show a decrease in the waste volume which may indicate that the awareness strategy about food waste may be used as potential strategy to reduce food waste in schools.

KEYWORDS

Children, Food waste, School lunch, Awareness

Caracterização do desperdício alimentar de idosos numa instituição do distrito de Aveiro: estudo de caso

Goreti Botelho; Catarina Travassos
Resumo

RESUMO

Introdução: O desperdício alimentar é uma realidade que precisa de ser melhor conhecida para se conseguir arranjar estratégias para a sua diminuição.

Objetivos: O presente trabalho procurou quantificar e qualificar o desperdício alimentar do almoço de idosos que frequentam uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) do distrito de Aveiro, através da quantificação das sobras e restos desta refeição.

Metodologia: A recolha de dados teve uma duração de 20 dias úteis e contemplou 26 idosos (84,0 ± 4,9 anos) e a refeição almoço. A sopa, o prato principal (carne ou peixe e o acompanhamento), a sobremesa e o pão foram pesados antes e depois da sua distribuição, para posterior cálculo dos índices de sobras e restos.

Resultados: No fim dos 20 dias, foram produzidos 605,2 kg de alimentos, dos quais, 80,6% foram efetivamente consumidos. Os restantes 19,4% constituíram desperdício. Observou-se um índice de restos médio de 3,7%, “ótimo/bom”, embora “regular” e “péssimo” para o acompanhamento e o pão, respetivamente. O índice de sobras médio foi de 16,3%, o que se considera “inaceitável”, segundo os valores da literatura consultada. Os custos com o desperdício não aproveitado ascenderam a 230,15 €, representando 15,8% do custo das refeições. Ao fim de um ano o valor estimado pode chegar a 2991,95 €.

Conclusões: O estudo de caso apresentado demonstrou a existência de um desperdício alimentar preocupante, indicando a necessidade de melhoria na gestão da quantidade de alimentos produzida, melhor adaptação das ementas aos utentes idosos e de implementação de medidas que visem a redução do desperdício alimentar e otimização dos custos.

PALAVRAS-CHAVE

Desperdício alimentar, Idoso, Restos, Sobras

ABSTRACT

Introduction: The food waste is a reality that needs to be better known in order to find strategies to contribute for its decrease.

Objectives: This study aimed to quantify and qualify the food waste at lunch time of elderly attending a Private Institution of Social Solidarity in the Aveiro district, through the quantification of leftovers and plate waste from this meal.

Methodology: Data collection comprised 20 working days and included 26 elderly (84.0 ± 4.9 years) and lunch meal. The soup, the main course (meat or fish and respective side dishes), dessert and bread were weighed before and after the distribution for subsequent calculation of leftovers and plate waste indices.

Results: In total, 605.2 kg of food were produced, of which 80.6% was actually consumed. The remaining 19.4% constituted waste. Average index of plate waste was 3.7%, “excellent/good”, but it was “regular” and “bad” for side dishes and bread, respectively. The average index of leftovers was 16.3%, which is considered “unacceptable” according to the reference values present in literature. The costs of waste not used amounted to € 230.15 representing 15.8% of the meals cost. After a year, the estimated value could reach € 2,991.95.

Conclusions: The case study demonstrated the existence of a worrying food waste, indicating a need for improvement in the management of the quantity of food produced, better adaptation of menus to the elderly and implementation of measures aimed at reducing food waste and optimize costs.

KEYWORDS

Food waste, Elderly, Plate wastes, Leftovers

Integração dos Nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde em Portugal

Beatriz Ferreira; Tânia Cordeiro; Alexandra Bento
Resumo

RESUMO

Introdução: O Serviço Nacional de Saúde é a estrutura do Estado português que assegura à população a prestação dos cuidados de saúde. Integradas nas Redes Nacionais de Cuidados de Saúde Primários e Cuidados de Saúde Hospitalares, as unidades que formam o Serviço Nacional de Saúde revelam-se locais privilegiados para a incorporação da prática profissional do nutricionista, pelo facto de a sua atuação se focar na promoção de saúde, na prevenção e no tratamento da doença, contribuindo para a reversão do cenário epidemiológico centrado na intensificação das doenças crónicas não transmissíveis e para o cumprimento das metas em saúde estabelecidas a nível nacional e internacional.

Objetivos: Determinar o número de nutricionistas a exercer no Serviço Nacional de Saúde nos Cuidados de Saúde Primários e nos Cuidados de Saúde Hospitalares. Calcular o número de utentes e de camas atribuído a cada nutricionista integrado nas unidades que compõem, respetivamente, as Redes Nacionais de Cuidados de Saúde Primários e Cuidados de Saúde Hospitalares.

Metodologia: Neste estudo descritivo obteve-se, por correio eletrónico e telefone, informação sobre o número de profissionais a exercer como “Dietista”, “Dietista estagiário”, “Nutricionista” e “Nutricionista estagiário”, de acordo com o Registo Nacional da Ordem dos Nutricionistas, nas instituições constituintes do Serviço Nacional de Saúde, Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira e Serviço Regional de Saúde do Governo dos Açores. No final, a adequação dos rácios obtidos foi analisada com base em critérios emitidos pela Ordem dos Nutricionistas.

Resultados: Verificou-se um total de 416 nutricionistas a exercer no Serviço Nacional de Saúde, dos quais 123 profissionais pertenciam aos Cuidados de Saúde Primários e 293 aos Cuidados de Saúde Hospitalares. Nos Cuidados de Saúde Primários identificou-se um rácio de 86.006 utentes por nutricionista e nos Cuidados de Saúde Hospitalares o rácio estimado foi de 97 camas por nutricionista.

Conclusões: O número total de nutricionistas a exercer no Serviço Nacional de Saúde revelou-se manifestamente aquém do que se considera adequado, devendo-se reforçar a incorporação de nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde.

PALAVRAS-CHAVE

Cuidados de Saúde Hospitalares, Cuidados de Saúde Primários, Doenças Crónicas Não Transmissíveis, Nutricionista, Serviço Nacional de Saúde

ABSTRACT

Introduction: The National Health Service is the state structure in Portugal that ensures to the population the provision of health care. Integrated into the Primary Health Care Network and into Hospital Health Care Network, the units that make up the National Health Service prove to be privileged places for the incorporation of professional nutritionist practice, due to the fact that their work focuses on the health promotion, prevention and treatment, contributing to the reversal of the epidemiological scenario focused on the intensification of chronic noncommunicable diseases and to meet the health goals established at national and international level.

Objectives: Determine the number of nutritionists practicing in the Primary Health Care and in Hospital Health Care of National Health Service. Calculate the number of users and beds assigned to each nutritionist integrated on the units that comprise, respectively, Primary Health Care Network and Hospital Health Care Network.

Methodology: In this descriptive study, was obtained, by e-mail and phone, information about the number of professionals that practiced as “dietitian”, “trainee dietitian”, “nutritionist” and “trainee nutritionist”, according to the National Registry of the Portuguese Council of Nutritionists, in the constituent institutions of the National Health Service, the Health Service of the Autonomous Region of Madeira and the Regional Health Service of the Government of Azores. In the end, the adequacy of the ratios obtained was analyzed based on criteria transmitted by the Portuguese Council of Nutritionists.

Results: There were a total of 416 nutritionists working in the National Health Service, of which 123 professionals belonged to Primary Health Care and 293 to Hospital Health Care. In the Primary Health Care was identified a ratio of 86.006 users per nutritionist and in the Hospital Health Care the estimated ratio was of 97 beds per nutritionist.

Conclusions: The total number of nutritionists practicing in the National Health Service was clearly below what is considered appropriate, so the incorporation of nutritionists in the National Health Service should be strengthened.

KEYWORDS

Hospital Health Care, Primary Health Care, Noncommunicable Diseases, Nutritionist, National Health Service

Uma avaliação das aplicações mobile classificadas em Saúde e Fitness

Mayumi Delgado; Sandra Miranda; Paulo Farias Rodrigues
Resumo

RESUMO

Nas últimas décadas tem-se assistido ao aumento da prevalência da obesidade, representando esta doença um dos desafios mais graves de saúde pública a nível mundial. Paralelamente, verifica-se que as inovações tecnológicas não param de emergir e, se por um lado esta evolução tecnológica diminuiu a atividade física e aumentou o sedentarismo, por outro podem ser aliadas na promoção de comportamentos mais saudáveis. As aplicações mobile, principalmente as de saúde e fitness, estão cada vez mais presentes no quotidiano das pessoas, e podem, por isso, revelar-se num meio privilegiado para as apoiar na adoção de estilos de vida mais saudáveis.

Assim, a presente investigação teve como principal objetivo rever e sumarizar os conteúdos das aplicações mobile da área da saúde e fitness mais populares e comparar as gratuitas com as pagas para a obtenção de contributos para a construção de um protótipo de app credível nesta mesma área. Utilizou-se uma metodologia do tipo quantitativa. Dada a variabilidade de apps e funcionalidades encontradas, não foi possível determinar um padrão que pudesse facilitar a escolha das melhores apps. Verificou-se que as apps gratuitas têm um maior número de funcionalidades do que as apps pagas, pelo que o preço não pode ser fator de decisão de escolha.

PALAVRAS-CHAVE

Aplicações mobile, Fitness, Nutrição, Obesidade, Saúde

ABSTRACT

In recent decades the prevalence of obesity has increased, and this disease represents one of the most serious public health challenges worldwide. At the same time, it appears that technological innovations are constantly emerging and on the one hand this technological evolution has decreased physical activity and increased sedentary lifestyles, on the other hand can be an ally in promoting healthier behaviors. The mobile applications, especially those related to health and fitness, are increasingly present in the daily lives of people, and may therefore prove to be a privileged way for supporting them to adopt healthier lifestyles.

Thus, the aim of this research was to review and summarize the contents of most popular mobile applications in the health and fitness field with a higher average rating and compare paid and free apps to obtain insights to build a credible app prototype in this same area. We used a quantitative methodology. Given the variability of apps and functionalities found it was not possible to determine a pattern that could facilitate the choice of the best apps. It was found that free apps have a greater number of functions than the paid apps, so that the price cannot be a factor of choice.

KEYWORDS

Mobile Applications, Fitness, Nutrition, Obesity, Health

 

Tamil migrant women’s perception of A transcultural dietetics tool for the counseling of gestational diabetes patients

Leila Sadeghi; Sofia Daniela Ferreira Martins; Marta Sofia Dores da Silva; Susanne Müller; Helena Jenzer
Resumo

ABSTRACT

Introduction: The Tamil population is one of the largest migrant groups living in Switzerland and presents a high prevalence of gestational diabetes. The changes in dietary patterns due to migration are often underestimated in dietetics counseling. The project NutriGeD from Bern University of Applied Sciences aimed at developing the first official tool, the “Migmapp©”, in Switzerland to help healthcare professionals counsel in the most efficient manner their gestational diabetes patients of Tamil origin.

Objectives: The aim of the present study was to assess the perceptions regarding the clarity and usefulness of the MigMapp©’s tools among Tamil migrant women living in Switzerland.

Methodology: A SurveyMonkey-based questionnaire was developed in German and translated into Tamil. Hardcopies of the survey were distributed to 100 Tamil women living in Switzerland. The completed surveys were manually collected and inserted into SurveyMonkey by NutriGeD team members and analyzed using SPSS and Excel.

Results: 76% of the 25 participants had been living in Switzerland for more than 5 years, and 32% had already been diagnosed with gestational diabetes. The majority of respondents (83%, n=20) considered the Migmapp© to be complete in terms of providing the necessary information on the topic of dietetics and exercise tips for gestational diabetes. Both tools rated as the most understandable included a series of depicted visuals with respectively descriptive or instructional text. Helpfulness of using visuals was also shown by the high rating of the diabetic-friendly recipes, each including a photographed standard portion of the menu.

Conclusions: Overall, the Migmapp© was well accepted among the Tamil women participating in this evaluation survey and considered to be a good provider of lifestyle tips in case of gestational diabetes. The Migmapp© will be further tested for its efficacy and if proven successful, the developed materials will be made available, and developed for other migrant groups.

KEYWORDS

Dietetics counseling, Gestational diabetes, Migration, Tamil, Tool

RESUMO

Introdução: A população Tâmil representa um dos maiores grupos migrantes residentes na Suíça, apresentando alta prevalência de diabetes gestacional. As mudanças do padrão alimentar, que ocorrem devido à migração, são muitas vezes subestimadas nas consultas de nutrição. O projeto NutriGeD, da Universidade de Ciências Aplicadas de Bern, na Suíça, teve como objetivo desenvolver a primeira ferramenta elaborada na Suíça que tenha em atenção as mudanças de padrão alimentar desta população, o “Migmapp©”, no sentido de fornecer aos profissionais de saúde uma forma eficiente de lidar com doentes tâmiles que apresentem diabetes gestacional.

Objetivos: O presente estudo teve como objetivo avaliar as perceções relativamente à clareza e utilidade das ferramentas do Migmapp© entre mulheres migrantes Tâmil residentes na Suíça.

Metodologia: Desenvolvimento de um questionário em alemão, baseado no SurveyMonkey, e posteriormente traduzido para Tâmil. Foram distribuídas cópias impressas do questionário a 100 mulheres tâmiles residentes na Suíça. Os questionários completados foram manualmente recolhidos e inseridos no SurveyMonkey por membros da equipa NutriGeD, e analisados com SPSS e Excel.

Resultados: 76% dos participantes vivem na Suíça há mais de 5 anos e 32% tinham sido já diagnosticados com diabetes gestacional. A maioria das respondentes (83%, n=20) consideraram o Migmapp© completo, em termos de fornecimento de informação necessária no que diz respeito a dicas para controlar a diabetes gestacional, tanto nutricionais como de exercício físico. As ferramentas classificadas como as mais compreensíveis incluíam uma série de imagens descritivas, com o respetivo texto descritivo ou instrutivo. O poder de ajuda de imagens foi também demonstrado pela elevada classificação das dietas orientadas para pessoas diabéticas, uma vez que cada uma incluía uma fotografia de uma porção referência do menu.

Conclusões: Em geral, o Migmapp© foi bem aceite entre as mulheres tâmiles que participaram na sua avaliação através deste questionário, tendo sido considerado um bom fornecedor de informações sobre o estilo de vida a adotar em caso de diabetes gestacional. O Migmapp© será também testado no que diz respeito à eficácia e, sendo bem-sucedido, os materiais serão também disponibilizados e desenvolvidos para outros grupos migrantes.

PALAVRAS-CHAVE

Consultas de nutrição, Diabetes gestacional, Migração, Tâmil, Ferramenta

 

Alimentação em contexto pré-escolar: relação com estado nutricional e local de residência

Teresa Santos; Ana Catarina Moreira
Resumo

RESUMO

Introdução: A prevalência de obesidade em adultos e em crianças tem vindo a aumentar, apresentando a idade pré-escolar especial relevância na adoção de hábitos alimentares.

Objetivos: Avaliar o valor energético das refeições realizadas no jardim de infância e relacioná-las com o sexo e o meio de residência da criança.

Metodologia: Recolha de dados antropométricos e avaliação da ingestão dietética das crianças através de um questionário e pesagem dos alimentos consumidos no jardim de infância.

Resultados: Das 153 crianças avaliadas, verificou-se uma prevalência de excesso de peso/obesidade e obesidade de 5,9% e de 6,5% respetivamente, apresentando os rapazes e as crianças do meio rural valores mais elevados, bem como uma maior percentagem do valor energético ingerido nas refeições realizadas nos jardins de infância. Em 83% das crianças verificou-se um consumo energético superior às necessidades energéticas.

Conclusões: Neste estudo verificámos um consumo energético superior face às necessidades nas refeições realizadas no jardim de infância e no total das refeições realizadas ao longo do dia. Verificámos ainda a existência de diferenças na seleção de alimentos entre os sexos e meio de residência nas refeições intercalares.

PALAVRAS-CHAVE

Alimentação, Ingestão energética, Necessidade energética, Pré-escolar

ABSTRACT

Introduction: The prevalence of obesity in adults and children has been increasing, the pre-school age has special relevance in the adoption of eating habits.

Objectives: Evaluate the energetic value of meals eaten in the kindergarten and relate them to nutritional status, gender and residence of the child.

Methodology: Anthropometric data collection and assessment of dietary intake of children through a questionnaire and weighing the food consumed in the kindergarten.

Results: Of the 153 children studied, there was a prevalence of overweight/obesity and obesity of 5.9% and 6.5% respectively, showing boys and children from rural areas higher values as well as a higher percentage of ingested energy in meals eaten in the kindergarten. In 83% of children there was a higher energy consumption for energy needs.

Conclusion: In this study we found a higher energy consumption to the needs in the meals eaten in the kindergarten for children and a total of meals eaten throughout the day. We also verified the existence of differences in food selection by gender and residence of the child in the small meals.

KEYWORDS

Food, Energy intake, Energy demand, Pre-school